Regulamento

Árbitros brasileiros habilitados

Árbitros brasileiros habilitados 150 150 Redação Redação

O árbitro é de fundamental importância para a realização e bom andamento das provas de esgrima. Portador  de papel simbólico, carrega enorme responsabilidade na garantia do respeito ao regulamento e da imparcialidade. Muitas vezes exerce influência decisiva na concretização ou não de objetivos e sonhos construidos em anos de trabalho e suor por parte de atletas, treinadores e demais envolvidos. 

De acordo com a tradução do documento publicado pela Federação Internacional de Esgrima (FIE)  em dezembro de 2017, temos que:

t.46

1. O fato de aceitar uma designação como árbitro ou assessor implica na responsabilidade de honra da pessoa designada de respeitar e de fazer respeitar os regulamentos, assim como realizar as funções com a mais escrupulosa imparcialidade e com a maior atenção.
2. Os árbitros não podem acumular funções com nenhuma outra atividade no torneio, tal qual membro do Diretório Técnico, capitão de equipe, delegado oficial de sua federação nacional, treinador, etc.

t.47
ÁRBITROS
1. Todos os matches de esgrima nas competições oficiais da FIE são dirigidos por um árbitro titular de uma licença internacional de árbitro da FIE, válida para a temporada em curso.
2. O árbitro tem múltiplas funções:

a) ele faz a chamada dos esgrimistas (cf. t.114, t.118, t.119)
b) ele tem a direção do match.
c) antes de cada match, o árbitro deve verificar as armas, as vestimentas e o material dos esgrimistas, segundo as disposições abaixo.
d) ele supervisiona o funcionamento regular do aparelho. De sua própria iniciativa, ou por reclamação de um capitão de equipe ou de um esgrimista, ele faz proceder aos testes de verificação e de localização do defeito eventualmente manifestado. Ele impede os esgrimistas de contrariar as pesquisas desligando ou mudando intempestivamente seu material.
e) ele dirige os assessores, cronometristas, marcadores, etc.
f) ele deve se colocar e se deslocar de maneira a poder seguir o match, de modo a poder constatar o acendimento das lâmpadas.
g) ele sanciona as faltas (Cf. t.164).
h) ele outorga os toques (Cf. t.54ss).
i) ele mantém a ordem (Cf. t137).
j) cada vez que o árbitro julgue oportuno, ele deve consultar os especialistas em matéria de sinalização elétrica (Cf. o.28).
k) O Árbitro também deve supervisionar o estado da pista condutora; ele não deve permitir o início do combate ou a sua continuidade se a pista condutora tiver orifícios que possam afetar o bom registro dos toques.

A Confederação Brasileira de Esgrima (CBE) disponibiliza em sua página eletrônica a relação de árbitros brasileiros habilitados para as competições nacionais, competições FIE e Competições IWAS:

ARBITRAGEM

Em 2020 a CBE indicava os seguintes árbitros brasileiros habilitados e suas respectivas categorias:

ÁrbitroCategoria da habilitação
EDUARDO ROMÃO GOMESFIE – IWAS INTERNACIONAL
ABEL MELIANFIE – IWAS
JACQUES CRAMERFIE – IWAS
FABIO LOUREIROFIE
PAULO JUAN DE LIMA VELLOSOFIE
LUCIANO FINARDIFIE
RÉGIS TROIS DE ÁVILAFIE
RICARDO FERRAZIFIE
ANA CLARA RODRIGUESFIE
ARNO SCHNEIDERFIE
LUCIO GOLDANIFIE
PEDRO MAROSTEGAIWAS INTERNACIONAL – NACIONAL B
RICARDO BINDI DE ROMÃO GOMESIWAS NACIONAL – NACIONAL B
GABRIELA RODRIGUESIWAS NACIONAL – NACIONAL B
GABRIEL DE ASSISIWAS NACIONAL – NACIONAL B
MAURÍCIO STEMPNIAKIWAS NACIONAL – NACIONAL B
TALIA BECKER CALAZANSIWAS NACIONAL – NACIONAL B
CAROLINA ANZOLIN ARAUJONACIONAL A – IWAS
AUGUSTO CASTRONACIONAL B – ECR NACIONAL
ANA LUIZA AMARAL TOLDONACIONAL B
CARLOS HENRIQUE MOREIRANACIONAL B
CLÉDOLA OLIVEIRA DE TELLONACIONAL B
DIEGO MARQUES FRANTZNACIONAL B
HENRIQUE ROCHELNACIONAL B
ICARO ZAGROBELNY MOURANACIONAL B
JOAO PAULO FORMAN MURRAYNACIONAL B
LUCIANA BENTO P. DE CARVALHO CABRALNACIONAL B
LUIGI BRESCIANININACIONAL B
LUIZ HENRIQUE SOMMERNACIONAL B
TABEA EPP KUSTER ALVESNACIONAL B
TARCÍSIO MATEUS MENDESNACIONAL B
VICENTE LEAL HOFMEISTERNACIONAL B
ALINE DE MENEZES SANTOSNACIONAL B
ANA PAULA BINDI GOMESNACIONAL B
AUGUSTO MARQUESNACIONAL B
JULIANA PEREIRA DIASNACIONAL B
KARINA ZETTERMANN T. DE AVILANACIONAL B
LUCIANO SOUZANACIONAL B
MARCELO CORSETTINACIONAL B
LORANA SCHWANTESNACIONAL B
PEDRO D’AVILA DE CARVALHONACIONAL B
RAPHAEL REBOUÇAS SANTANA SILVANACIONAL B
RICARDO PACHECONACIONAL B
LUIZ EDUARDO DIONISIO DA FONSECANACIONAL B
THOMAS F. SCHWANKENACIONAL B
VITOR LICHESKI CITNACIONAL B
AUGUSTO NOBRE GONÇALVESNACIONAL B
DANILO COUTO GUEDESNACIONAL B
ENZO ARAKI BERGAMONACIONAL B
JOSÉ JOAQUIM DIAS SOEIRONACIONAL B
LEONARDO DE CAMPOS SIMÕESNACIONAL B
LEOPOLDO LUIZ GUBERT FILHONACIONAL B
LUIZ GUILHERME PETRACHINACIONAL B
RENATA ZETTERMANNNACIONAL B
RODRIGO BALDINNACIONAL B
TAYLAINE GUZENSKI PACHECONACIONAL B
VERÔNICA COUTO FERREIRA SOEIRONACIONAL B
THEO DUARTE GOLDEMBERGNACIONAL B
PEDRO H. P. PETRICHJUNIOR

Por: Heitor Shimbo Carmona

Fontes:

Disponível em: http://cbesgrima.org.br/arbitragem-2/ . Acesso em 02 Jul. 2020

Disponível em: http://cbesgrima.org.br/wp-content/uploads/2018/01/regulamento-tecnico-esgrima-fie-dezembro-de-2017.pdf . Acesso em 02 Jul. 2020

Regulamento do Torneio “Taça Desafio Russel” – Pelo cavalheirismo, lealdade, honra e pureza do esporte.

Regulamento do Torneio “Taça Desafio Russel” – Pelo cavalheirismo, lealdade, honra e pureza do esporte. 150 150 Redação Redação

Regulamento do Torneio “Taça Desafio Russel”

A Federação Internacional de Esgrima (FIE) propôs, em 1938, a realização do torneio “Taça Desafio Russel”, com os seguintes propósitos: evitar a especialização extremada do esgrimista pela adoção de uma única arma; eliminar o semi-profissionalismo, mantendo-se assim, a pureza do esporte e suas elevadas finalidades; e frisar o indispensável cavalheirismo, característico dos esgrimistas e os sentimentos de lealdade e de honra, que devem ser intensamente cultivados por todos os atiradores.

O Brasil foi convidado a participar do torneio, cujas regras definiam que: os toques deveriam ser acusados pelos contendores e não por juízes ou aparelho indicador; os esgrimistas deveriam jogar as três armas, ter mais de 30 anos e ganhar a própria vida por intermédio de uma profissão ou ofício que não tivesse relação alguma com qualquer esporte. As eliminatórias seriam definidas por zonas (Zona Europeia, dividida em 6 grupos, e Zona Americana, dividida em 2 grupos) e o vencedor da Zona Americana deveria enfrentar o vencedor da Zona Europeia.  O regulamento  e o chaveamento encontram-se detalhados em:

 http://memoria.bn.br/DocReader/Hotpage/HotpageBN.aspx?bib=090972_08&pagfis=22606&url=http://memoria.bn.br/docreader#

Por: Heitor Shimbo Carmona

Fonte: Correio Paulistano de 4 Fev. 1938. Um Grande certame Internacional de Esgrima. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/Hotpage/HotpageBN.aspx?bib=090972_08&pagfis=22606&url=http://memoria.bn.br/docreader# . Acesso em 08 Jul de 2020.

Resultados – Eventos da esgrima Paulista em 1935

Resultados – Eventos da esgrima Paulista em 1935 150 150 Redação Redação

Para comemorar o aniversário de sua fundação (em 05 de junho de 1925), a Federação Paulista de Esgrima – FPE tinha o costume de entregar os troféus e medalhas aos vencedores dos torneios ocorridos nos últimos 12 meses em evento “Gala” de armas. No dia 25 de junho de 1936 ocorreu a celebração do 11o aniversário da FPE e também fez-se uma homenagem aos esgrimistas brasileiros que embarcariam para representar o Brasil nos Jogos Olímpicos de Berlim. Na ocasião foram distribuídos os prêmios referentes aos seguintes acontecimentos:

TORNEIO DE JUNIORS – 1935

Florete:

1 o  Olavo Bruhns – Clube de Regatas Tietê – São Paulo (medalha)

2 o Antonio de Paula – Clube de Regatas Tietê – São Paulo (medalha)

3 o Ricardo Vialardi – Dopolavoro (medalha)

4 o José Salemi – Clube de Regatas Tietê – São Paulo (medalha)

Espada:

1 o  Ricardo Vagnotti – Dopolavoro (medalha)

2 o Antonio de Paula – Clube de Regatas Tietê – São Paulo (medalha)

3 o João Baptista de Sousa – Portugal Clube (medalha)

Sabre:

1 o  Olavo Bruhns – Clube de Regatas Tietê – São Paulo (medalha)

TORNEIO DE ESPADAS AO AR LIVRE “TAÇA PROGRESSO” – 1935

1 o  Eugenio Pagnini – Dopolavoro (miniatura da taça “Progresso”)

2 o Miguel Biancalana – Clube Esperia

3 o Ricardo Vagnotti – Dopolavoro (medalha)

4 o Ferdinando Alessandri – Dopolavoro (medalha)

HANDICAP DE ESPADA ” TAÇA VALLIM” – 1935

1 o  Walter de Paula – Clube Potuguez ( miniatura da taça “Vallim”)

2 o João Baptista de Sousa – Portugal Clube (medalha)

3 o João Heinrich Junior – Clube de Regatas Tietê – São Paulo (medalha)

4 o José Salemi – Clube de Regatas Tietê – São Paulo (medalha)

CAMPEONATO PAULISTA INDIVIDUAL – 1935

Florete:

1 o  Ferdinando Alessandri – Dopolavoro (medalha)

2 o Antonio de Paula – Clube de Regatas Tietê – São Paulo (medalha)

Espada:

1 o  Henrique Vallim – C. A. Paulistano (medalha)

2 o Antonio de Paula – Clube de Regatas Tietê – São Paulo (medalha)

Sabre:

1 o  Miguel Morano – Clube de Regatas Tietê – São Paulo (medalha)

CAMPEONATO PAULISTA “INTERCLUBES” – 1935

Cada clube apresenta nesta competição uma turma de três esgrimistas em cada arma. O Clube de Regatas Tietê – São Paulo conquistou o primeiro lugar nas três armas (3 taças miniatura e o troféu da prova)

PROVAS FEMININAS CAMPEONATO PAULISTA “INTERCLUBES” – 1935

As provas femininas eram realizadas unicamente na arma do florete

TORNEIO DE JUNIORS – 1935

1 o  Lydia Auricchio – Clube de Regatas Tietê – São Paulo (medalha)

CAMPEONATO PAULISTA INDIVIDUAL – 1935

1 o  Leonor Margarido – Clube de Regatas Tietê – São Paulo (medalha)

TROFÉUS DISPUTADOS – 1935

TAÇA “INTER-CLUBES” – CAMPEONATO PAULISTA POR EQUIPES

Vencedor – Clube de Regatas Tietê – São Paulo

TAÇA “ALESSANDRI” – CAMPEONATO PAULISTA INDIVIDUAL DE FLORETE

Vencedor – O. N. Dopolavoro

TAÇA “U.B.E.” – CAMPEONATO PAULISTA INDIVIDUAL DE ESPADA

Vencedor – C. A. Paulistano

TAÇA “CUFFARI” – CAMPEONATO PAULISTA INDIVIDUAL DE SABRE

Vencedor – Clube de Regatas Tietê – São Paulo

TAÇA “VALLIM” – TORNEIO DE HANDCAP DE ESPADA

Vencedor – Clube Portuguez

TAÇA “PROGRESSO” – TORNEIO DE ESPADA AO AR LIVRE

Vencedor – O. N. Dopolavoro

Na distribuição dos prêmios a Federação Paulista adotou os seguintes critérios:

Quando uma prova reúne menos de 3 concorrentes, não se realiza;

De 3 a 5 concorrentes, prêmio ao primeiro colocado;

De 6 a 8 concorrentes, prêmio aos 2 primeiros colocados;

De 13 a 18, prêmio aos 4 primeiros colocados;

Mais de 18 participantes, prêmio aos 5 primeiros colocados.

TORNEIO DE PREPARAÇÃO OLYMPICA

Foram 5 torneios masculinos de Preparação Olympica promovidos pela Federação Paulista de Esgrima – FPE nos meses de março a abril de 1936. Receberam o prêmio, os esgrimistas que se colocaram em 1o lugar:

Florete:

1 o Ferdinando Alessandri – Dopolavoro (Miniatura da Taça)

Sabre:

1 o Ferdinando Alessandri – Dopolavoro (Miniatura da Taça)

Espada:

1 o  Henrique Vallim – C. A. Paulistano (Miniatura da Taça)

Foram realizados 3 torneios femininos de Preparação Olympica promovidos pela Federação Paulista de Esgrima – FPE

Florete:

1 o Hilda Von Puttkammer (Miniatura da Taça)

2 o  Leonor Margarido – Clube de Regatas Tietê – São Paulo (medalha)

Ainda foram realizadas homenagens aos Mestre de armas da Força Pública por competente e imparcial atuação como juri nas provas de Preparação Olympica:

José da Silva Neubern (medalha)

Domingos Dias de Oliveira (medalha)

Anizio Pinheiro (medalha)

José Rocha (medalha)

Lydio Leite (medalha)

José Bonifacio de Carvalho (medalha)

Benedicto Rosa (medalha)

Antonio Lopes (medalha)

Olympio Nunes (medalha)

Geronymo de Souza (medalha)

Por: Heitor Shimbo Carmona

Fonte:

Disponibilizado em: Correio Paulistano – 21 de junho de 1936/ O esporte fidalgo em revista/ http://memoria.bn.br/DocReader/Hotpage/HotpageBN.aspx?bib=090972_08&pagfis=12896&url=http://memoria.bn.br/docreader# . Acesso em 06 Jul. 2020